PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 6828251
 Online Agora: 15
Regional
Postada por:  Redação (Carmen Lúcia Marini Vieira Júlio),  em  25/01/2021 às 22h47
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Estado, MP e Defensoria encerram audiências de negociação com a Vale para reparação dos danos causados em Brumadinho

25/01/2021 às 22h47

Governo de Minas Gerais e demais instituições jurídicas que representam o Poder Público encerraram as audiências de negociação com a mineradora Vale após não aceitarem, na quinta-feira (21/1), nova proposta apresentada pela empresa para a reparação dos danos causados pelo rompimento de barragem em Brumadinho, no dia 25 de janeiro de 2019. Com isso, caso a Vale não apresente uma nova proposta até a próxima sexta-feira (29/1), o processo irá voltar para julgamento na primeira instância na Justiça. A audiência extraordinária de conciliação teve a participação do Governo de Minas, Ministério Público Estadual (MPMG), Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), Ministério Público Federal e representantes da Vale, e foi mediada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Os valores foram considerados insuficientes para garantir a recomposição dos danos causados à população atingida e ao Estado de Minas Gerais, de acordo com o secretário-geral do Estado, Mateus Simões. “É o momento de a Vale assumir a sua responsabilidade, agir com dignidade e reparar os danos que foram causados aos mineiros ou demonstrar o seu antagonismo com Minas Gerais e a sua posição de inimiga dos mineiros. Nós não vamos nos lançar em um leilão para definir o valor deste acordo. Os projetos que foram apresentados somam um valor que é o mínimo necessário para garantir a recomposição dos danos gravíssimos causados para a população atingida”, afirmou Mateus Simões. O secretário-geral ainda afirmou que acredita que a Justiça será feita, seja pelo acordo ou por meio da condenação da empresa.

Reconhecimento de responsabilidade

 

Este acordo será celebrado como o maior acordo da história do Brasil ou a condenação chegará como a maior da história do Brasil. Não estamos aqui para pedir uma ajuda para a Vale. Ela é a criminosa neste processo e precisa mostrar um pouco mais de contrição, demonstrar que ela se arrepende e reconhece a sua responsabilidade e está disposta a por isso pagar o que tem que ser pago para a reparação”. “Não é admissível que o número apresentado pela Vale não permita que as escolas sejam reconstruídas, que as delegacias sejam refeitas, que a polícia se reestruture, que os hospitais possam prestar um serviço de qualidade, que a segurança hídrica seja garantida, que a água seja tratada e que o meio ambiente seja efetivamente restaurado”, finalizou Simões. Dentro do acordo, as instituições também vinham defendendo uma solução definitiva para o auxílio emergencial, que será comprometido com a não efetivação do acordo.

 

 União

Para o procurador-geral de Justiça, Jarbas Soares Júnior, a posição das instituições é firme em defesa dos atingidos, do meio ambiente e de Minas Gerais. “Nós não vamos assinar, não concordamos e não aceitamos que valores fiquem abaixo de tudo o que foi feito até agora. A companhia tem que entender que ela causou um mal muito grande ao Estado e tem a oportunidade de reparar”, reforçou o procurador-geral.

O procurador da República Edilson Vitorelli destacou que as audiências deixaram um importante legado institucional na busca pela reparação justa dos atingidos e do Estado de Minas Gerais. “As instituições do Estado estão todas unidas em uma única proposta e em um único discurso. Esta é uma posição unânime das instituições: o valor que foi oferecido está muito aquém das necessidades do Estado e das pessoas atingidas”, afirmou.

Entenda o Acordo com a Vale

A tentativa de se estabelecer um acordo entre Governo do Estado, Ministério Público Estadual (MPMG), Defensoria Pública Estadual (DPMG) e Ministério Público Federal (MPF) e a empresa Vale teria como objetivo iniciar, o mais rápido possível, a reparação socioeconômica e ambiental dos danos causados pelo rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, em janeiro de 2019. Uma das premissas básicas estabelecidas na negociação foi a de que qualquer acordo não prejudicasse o pagamento dos auxílios emergenciais a moradores da região ou o pleito de atingidos por indenizações individuais, constituindo-se como uma obrigação adicional para a Vale, de reparar dentro da lógica do dano coletivo e de custear imediatamente uma série de projetos para reparação da região. O Governo de Minas, desde o desastre, empenhou forças para garantir o suporte necessário aos atingidos, com a presença de diversos órgãos estaduais, como o Corpo de Bombeiros e a Defensoria Pública, momentos após a tragédia e permanentemente desde então, apoiando a comunidade e diagnosticando as necessidades específicas da população impactada e os prejudicados pelo rompimento da barragem. Em agosto de 2020, foi apresentada pelo Governo de Minas, Ministério Público de Minas Gerais e Defensoria Pública de Minas Gerais petição à Justiça de pagamento por parte da Vale de R$ 54,6 bilhões, sendo R$ 28 bilhões a título de danos morais coletivos e sociais e 26,6 bilhões a título de compensação socioeconômica à sociedade mineira. Ministério Público Federal, Defensoria Pública da União e Advocacia-Geral da União também foram signatários da petição. O pedido foi negado e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, desde então, vinha mediando as tentativas de acordo em audiências de conciliação entre as partes. Fonte: Agência Minas






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Regional
29/04/2021
Microrregiões da Zona da Mata avançam para a Onda Amarela do 'Minas Consciente'
28/04/2021
RCV Ranking de Corrida Virtual
16/04/2021
Minas Consciente: macrorregião Sudeste avança para a Onda Vermelha e Centro-Sul ...
05/04/2021
Covid-19: Zona da Mata e Vertentes recebem mais de 108 mil doses das vacinas na ...
01/04/2021
O município de Ubá criou mais 27 leitos clínicos para atender pacientes com a Co...
27/03/2021
Aedes aegypti: Estado divulga acumulado de casos de novembro a março; veja situa...
17/03/2021
Covid-19: Prefeitura de Juiz de Fora diz que 30 pacientes do município já foram ...
10/03/2021
Macrorregiões Oeste, Centro-Sul e Sudeste regridem para a onda vermelha do Minas...
05/03/2021
Em nova remessa, cidades da Zona da Mata e Vertentes recebem mais de 40 mil dose...
05/03/2021
Nova remessa de vacinas contra o coronavírus chega no Aeroporto da Serrinha
03/03/2021
Vem aí a Segunda Edição do Festival Cataguajazz
12/02/2021
Minas Gerais terá programação temática on-line neste Carnaval
10/02/2021
Covid-19: terceiro lote de vacinas chega nas regionais de Saúde da Zona da Mata ...
28/01/2021
Municípios mineiros receberão 356 mil vacinas até sexta-feira (29/01)
28/01/2021
Ações do Governo do Estado no enfrentamento do Coronavírus
25/01/2021
Estado, MP e Defensoria encerram audiências de negociação com a Vale para repara...
19/01/2021
Minas Gerais distribui vacina contra a Covid em tempo recorde
19/01/2021
Doses de vacina contra Covid-19 chegam a Juiz de Fora
12/01/2021
Após deslizamento, trânsito na MG-353 é parcialmente liberado
08/01/2021
Fortes chuvas e tempo abafado marcam fim de semana na Zona da Mata e Vertentes
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br