PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 6828151
 Online Agora: 14
Política
Postada por:  Redação (Carmen Lúcia Marini Vieira Júlio),  em  06/11/2020 às 18h49
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Votos pelo correio. Democracia ou fraude?

06/11/2020 às 18h49

André Frota

O centro da disputa eleitoral entre Biden e Trump reside na divisão entre aceitar os votos enviados pelo correio ou rejeitá-los. Os EUA estão divididos em torno de percepções antagônicas sobre essa fórmula de depósito do voto.

O princípio fundamental da democracia reside na instituição do sufrágio universal.  O que significa que todos os cidadãos devem ter a possibilidade de exercer a sua vontade política através do voto em um determinado representante.   

Entretanto, duas são as formas pelas quais isso pode ocorrer. Mediante o voto obrigatório ou o voto facultativo. No caso do voto obrigatório, a não participação eleitoral implica em custos altos para o cidadão, como a impossibilidade de prestar concursos, assumir certos empregos, matricular-se em universidades, ou mesmo pagar uma multa em dinheiro.

No caso do voto facultativo, que é o caso norte-americano, o ato de ir votar implica em custos. Para uma parte da população, que reside fora do seu colégio eleitoral, isso implica em custos muito altos, o que em geral, resulta em abstenção. Para uma outra parte da população, o deslocamento intra urbano ou mesmo intra rural, o que significa se deslocar dentro do próprio município até o seu colégio eleitoral, implica em um custo de tempo e de transporte, seja mediante um veículo próprio, pelo transporte público, ou por outros meios.   

Para o estadunidense o ato de votar é custoso. A não votação é gratuita. A abstenção não custa nada. Não há sanções sobre esse comportamento. Dito isso, por que os cidadãos votam? Em primeiro lugar, nem todos votam. Os dados variam de estado para estado e de estrato da população para estrato. Entretanto, uma grande parcela da população vota. Esse voto acontece porque os cidadãos entendem que o custo de votar é baixo se comparado aos benefícios que isso irá trazer para eles mesmos, para suas famílias ou seu país.

E qual a relação disso com o voto pelo correio? O voto pelo correio diminui os custos da participação política. Em alguns estratos mais, em outros menos. A pandemia causou uma mudança na estratégia democrata, que passou a incentivar os votos pelo correio. Enquanto a estratégia republicana foi definida pela deslegitimação desse tipo de voto.

Os resultados das apurações ao longo da semana têm mostrado um enorme contingente de votos majoritariamente voltados para Biden. Enquanto a maioria dos votos já apurados foram dos republicanos, advindos de eleitores que foram presencialmente votar.

O nível de abstenção e o grau de participação eleitoral já bateram todos os recordes das eleições americanas. Por mais paradoxal que possa parecer, em meio a uma pandemia, que torna a participação presencial para uma parcela da população, um custo muito alto a ser pago, o voto pelo correio diminuiu significativamente os custos da participação. A força da participação esbarra nos custos que isso implica para os indivíduos, em um sistema facultativo.

Ou seja, afirmar que milhões de votos foram fraudados, é desconsiderar a influência do sistema de participação eleitoral. O sistema conta. As regras do jogo eleitoral contam. Os democratas fizeram uma aposta que aproveitou a influência desse modelo. Os republicanos tentaram brigar com ele.

*Professor de Relações Internacionais, Ciência Política e Geografia no Centro Universitário Internacional Uninter


 






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Política
02/02/2021
Com vitória de Rodrigo Pacheco, Minas recupera protagonismo
02/02/2021
Em 1º ato, Lira anula decisão de Maia e rejeita bloco de Baleia Rossi
03/01/2021
Projeto inédito do G1 permitiu a publicação das posses em todos os 5.568 municíp...
27/11/2020
Eleitores devem estar atentos às proibições no dia do segundo turno das eleições
27/11/2020
Quem não votou no primeiro turno poderá votar no segundo, afirma TSE
20/11/2020
RESULTADOS DA 239ª ZONA ELEITORAL
19/11/2020
A nova geografia eleitoral no Brasil e nos EUA
12/11/2020
ELEIÇÕES 2020: Saiba como justificar a ausência nas eleições deste ano
12/11/2020
SUA EXCELÊNCIA O ELEITOR!
09/11/2020
DICAS PARA O ELEITOR
09/11/2020
O PODER DO VOTO
07/11/2020
Biden vence eleições dos Estados Unidos
06/11/2020
Votos pelo correio. Democracia ou fraude?
03/11/2020
Quem tiver sido diagnosticado com covid-19 a partir de 1º de novembro não poderá...
30/10/2020
Eleitores poderão acessar novo portal da Justiça Eleitoral sem gastar pacote de ...
22/10/2020
Candidatos têm até domingo para enviar prestação de contas parcial
14/10/2020
Em quatro anos, candidaturas femininas cresceram 16,2%, segundo TSE
06/10/2020
Teatro Político com Pequena Audiência
30/09/2020
Propaganda Eleitoral já está liberada
30/09/2020
A covid-19 e as eleições municipais
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br