PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 7417764
 Online Agora: 18
Meio Ambiente
Postada por:  Redação (Carmen Lúcia Marini Vieira Júlio),  em  05/06/2020 às 19h46
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Dia Mundial do Meio Ambiente e o impasse dos lixões no Brasil

05/06/2020 às 19h46

*Yuri Santos

Nesta sexta-feira, dia 5 de junho, é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, mas a data não pode ser celebrada da forma como gostaríamos. Neste ano, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que estabelece a erradicação dos chamados lixões a céu aberto, completa dez anos e está longe de sair do papel. Enquanto isso, acumulam-se na mesma proporção das montanhas de lixos os danos ambientais e os graves problemas à saúde dos brasileiros.

A lei que determina o fechamento de todos os lixões e a destinação de rejeitos - aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado -, quase nada avançou quando o assunto é a erradicação dos lixões em todo o país, apesar de 60% das cidades brasileiras ainda manter os chamados lições a céu aberto (3353 municípios), causando graves danos ambientais e à saúde da população.

Neste contexto e sob o ponto de vista da saúde pública, além do aparecimento de várias doenças como dengue, febre amarela, zika e chikungunya, parasitoses e tantas outras, aliadas à estrutura deficitária e escassez de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), somam-se os elevados custos sociais e econômicos nos gastos públicos do município, Estado e União.

Outro dado extremamente preocupante: as chamadas zoonoses – doenças infecciosas capazes de ser naturalmente transmitidas entre animais e seres humanos – representam 60% de todas as doenças infeciosas em humanos e estão em ascensão devido à destruição dos habitats selvagens, decorrentes das mais diversas atividades econômicas. Ou seja; em grande escala, essas doenças, além dos impactos negativos na vida em comunidade afetam, de maneira extremada, o tripé da sustentabilidade – a economia, a sociedade e o meio ambiente.

Em relação às propostas para a destinação e tratamento ambientalmente corretos ao lixo, em todas as suas classificações, a primeira passa por investimentos massivos, de forma planejada e responsável, em alternativas sustentáveis e com ganhos substanciais para a saúde, a economia e o meio ambiente com todas as complexidades que lhe são afetadas.

Uma tecnologia japonesa é considerada a melhor aposta para o tratamento de resíduos sólidos urbanos, industriais, de agronegócio e hospitalar, a qual reduz em até 95% o volume dos resíduos e está totalmente dentro das normas ambientais. Chamada de “DTRO5”, trata-se de um equipamento de grande porte (5 toneladas) para decomposição de resíduos por meio de plasma frio, que pode integrar uma Usina de Tratamento de Resíduos Urbanos. Funciona com a presença de oxigênio ionizado e decompõe a temperaturas inferiores a incineradores convencionais, gerando o mínimo de poluentes e dispensando totalmente a utilização de aterros sanitários, já proibidos desde 2010.  Com capacidade para tratar 210 kg de lixo por hora, somente uma atende às necessidades de um município de até 20 mil habitantes, por exemplo. Vale destacar a triagem de todo o resíduo feita antes de dar entrada no maquinário, o que torna indispensável a colaboração de Associações de Catadores de Papel.

A solução é amplamente utilizada no Japão, país 22,5 vezes menor que o Brasil. Entre os diferenciais técnicos da máquina está a não utilização de combustíveis ou fontes de energia externa para o processo de tratamento. Ou seja: o lixo é o próprio combustível e 100% da matéria resultante é aproveitável e pode ser usado como adubos, insumos para cimenteiras, fabricação de bloquetes, entre outros. Vidros e metais são reaproveitados e vendidos como material reciclado. A utilização da máquina possibilita ainda o tratamento do Passivo Ambiental de Resíduo Urbano, localizado em aterros irregulares ou desativados.

*Diretor de operações da Direção Máquinas e Equipamentos - Demaq






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Meio Ambiente
09/06/2021
ENCONTRO VIRTUAL DO MUNICÍPIO ALCANÇOU SUCESSO
08/06/2021
Meio Ambiente: É hora de incentivar as crianças para neste tema
02/06/2021
Você conhece o caminho percorrido até chegar no Dia Mundial do Meio Ambiente?
20/05/2021
Política ambiental é decisiva para o País
21/04/2021
Meio ambiente foi tema de reunião entre empresários e ministros Salles e Tereza ...
19/04/2021
Meio Ambiente amplia Projeto de Recolhimento de Vidros no Município
19/04/2021
Rede Monitoramento Covid Esgotos passa a valer em cinco capitais
29/03/2021
Desmatamento faz com que municípios da região amazônica liderem a emissão de gas...
05/02/2021
Vale adiciona despesa de R$ 20 bi – Mina Córrego do Feijão
08/01/2021
O destino do lixo e o futuro do meio ambiente
24/09/2020
Prazo para apresentação de plano para fim de lixões nos municípios encerra no fi...
13/08/2020
Decreto institui comitê de regularização de imóveis rurais na Amazônia e no Cerr...
11/08/2020
Estiagem demanda economia de água
24/07/2020
Máscaras e luvas, da proteção contra a COVID-19 ao novo impacto ambiental
06/07/2020
Hora de avançar com o saneamento
23/06/2020
Com base em amostras de esgoto, projeto da UFMG estima que mais de 50 mil estão ...
12/06/2020
Saiba mais sobre o contexto das questões ambientais no Brasil
05/06/2020
Para 85% dos brasileiros, proteção do meio ambiente deve ser prioridade na retom...
05/06/2020
Dia Mundial do Meio Ambiente e o impasse dos lixões no Brasil
03/06/2020
Minas Gerais comemora a Semana do Meio Ambiente
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br