PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 5771923
 Online Agora: 15
Opinião
Postada por:  Redação (Carmen Lúcia Marini Vieira Júlio),  em  30/03/2020 às 18h28
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Salvar vidas ou salvar a economia?

30/03/2020 às 18h28

*Por Milton Rui Jaworski

Segundo números do Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN), o Brasil registra, anualmente, em torno de 300.000 feridos graves por acidente de trânsito. Sem falar dos feridos leves. E nem por isso existe um caos. Mas se esses 300.000 recorressem ao sistema de saúde em 60 dias, certamente teríamos o caos instaurado. Muitos morreriam por falta de atendimento.

 Qual seria a solução? Parar a circulação de todos os carros para reduzir o número de acidentes e ir liberando gradativamente até que o sistema, como um todo, se equalizasse. O que ocorre com o Coronavírus é a mesma coisa. Como ele tem um poder de contágio muito alto, a circulação de pessoas de forma irrestrita, fará com que o índice de pessoas infectadas seja muito elevado. Sabemos que somente cerca de 5% requer atendimento hospitalar. Mas 5% de uma população é um número absurdamente grande, o que geraria um caos no sistema de atendimento hospitalar.

 Não existe estrutura hospitalar em lugar nenhum que dê vazão a essa demanda. Então teríamos que escolher quem viveria e quem morreria, como já está acontecendo em alguns países. A decisão sensata é parar a circulação de pessoas, para parar a transmissão do vírus. Mas é uma parada momentânea, de 2 a 6 semanas, tempo suficiente para que o sistema se equilibre. Depois tudo volta ao normal, e a recuperação será muito rápida.

 Não se deve pregar o pânico. Precisamos ter racionalidade. O mundo não vai acabar. Nesse momento em que estamos vivendo, aparece todo tipo de experts sobre o assunto, falando do que não entendem, gerando pânico na população, como se um fato excepcional fosse à regra, como se um fato episódico fosse permanente.

 Haverá uma perda de renda, sim haverá. Mas é por tempo curto. E nesse ponto entram os poderes públicos, para de forma sensata, conduzir a situação. A perda de renda, a eventual perda de emprego, a perda de receita das empresas, tudo isso tem fim, e o fim está ao alcance dos nossos olhos. Portanto tenhamos serenidade. Dias melhores virão e saírem fortalecidos.

 Vamos salvar vidas e a economia!

 *Formado em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e há mais de 30 anos fundou a Jaworski Consultoria Empresarial (www.jaworskiconsultoria.com.br)


 






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Opinião
22/09/2020
A Solidariedade e a Pandemia
19/09/2020
O Pantanal está queimando – a era do fogo chegou
16/09/2020
NOSSAS VIDAS NO AMANHÃ
09/09/2020
A GUERRA DE NARRATIVAS
13/08/2020
Os problemas e a desigualdade social que a pandemia tirou de debaixo do tapete
24/07/2020
Até quando o servidor público será desrespeitado?
22/07/2020
E SE A LOCOMOTIVA PARA?
14/07/2020
Democracia a serviço da ideologia
09/07/2020
Ser ou Não Ser, eis a questão!
20/06/2020
O Gabinete do Ódio Existe!
20/06/2020
O Lento Retorno da Economia
03/06/2020
Coronavírus, uma arma biológica
27/04/2020
Peço anistia ao mundo pela humanidade
24/04/2020
“PEC do Orçamento de Guerra” entrega cheque em branco nas mãos de políticos
13/04/2020
Os Sonhos nas Bases
30/03/2020
Salvar vidas ou salvar a economia?
17/03/2020
Coronavírus: como as crises impulsionam a inovação?
13/03/2020
A Maldição do Desenvolvimento
27/02/2020
Para reflexão: Administração Pública, Polícia, Vereadores, Conselhos Municipais,...
19/02/2020
Oportunidades e riscos no Planeta VICA
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br