PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 4521359
 Online Agora: 9
Opiniões
Postada por:  Redação (Carmen Lúcia Marini Vieira Júlio),  em  26/11/2019 às 20h19
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
ONG global atua na prevenção e combate à violência contra mulher
Ações buscam proteger a infância e fortalecer vínculos familiares; iniciativas também promovem conscientização de homens acusados de praticar violência

26/11/2019 às 20h19

Com o objetivo de alertar a sociedade sobre situações recorrentes de violência doméstica, o dia 25 de novembro foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher. Levando em conta os índices alarmantes, a Organização Humanitária Internacional Aldeias Infantis SOS Brasil, líder em cuidado infantil e que apoia famílias no Brasil há mais de 50 anos, atua à frente no combate para que as mulheres saibam identificar, se proteger e denunciar.

Dados do Ministério da Saúde apontam que uma mulher é agredida a cada quatro minutos no país. Em 2016, cerca de 1,6 milhão de mulheres foram vítimas de agressão, enquanto 22 milhões de brasileiras sofreram algum tipo de assédio. Dentro de casa, o cenário é ainda mais agravante. Dos casos de violência, 42% ocorreram em ambiente doméstico. Apesar do aumento no número de registros, mais da metade das mulheres, cerca de 52%, não denunciou o agressor ou procurou ajuda.

Eliane de Jesus Pinto, psicóloga da Aldeias Infantis, explica que o trato da mãe com o filho pode sofrer alterações em contextos de violência. “O abandono afetivo é comum de acontecer, uma vez que o parceiro agressor comete a violência psicológica, induzindo a vítima a negligenciar cuidados ao filho. Com isso, se torna frequente a omissão da mãe na criação e na educação, além da falta de assistência moral, psíquica e social”.

A atuação da Organização se estende ao combate à violência doméstica por meio de rodas de conversa, ações para o fortalecimento de vínculos, capacitação profissional para a independência financeira e encaminhamento para os órgãos responsáveis, buscando garantir a reestruturação e desenvolvimento das vítimas. O acolhimento dessas mulheres pela Organização busca prevenir também o rompimento do cuidado parental.

No Paraná, o projeto “Cultivando o Cuidado” atua na assistência e empoderamento de mulheres que sofreram violência doméstica. Em Lauro de Freitas, na Bahia, o projeto “Cuidar” já atendeu, desde maio de 2018, mais de 25 famílias com incidentes de violência contra a mulher. Já em São Paulo, o “Flores de Ipê”, projeto iniciado em novembro do ano passado, atende 12 mulheres em rodas de conversa para a discussão sobre a vivência delas. “Por meio do diálogo, as participantes saem fortalecidas e ganham confiança para buscar alternativas e romper o ciclo de violência”, explica Eliane.

A conscientização de homens acusados de agressão também faz parte da resolução da problemática. Em Araçoiaba, no Pernambuco, além do acolhimento para mulheres, a Aldeias Infantis promove rodas de conversa para a debater questões de afeto e comportamento com homens encaminhados pelo Conselho Tutelar.

Em pouco mais de três anos, 85% das mulheres participantes conseguiram sair da situação de violência e 75% dos homens afirmaram que melhoraram suas relações com a família. Por meio das ações, 70% das mulheres e 30% dos homens ainda voltaram a estudar.



Sobre a Aldeias Infantis SOS Brasil - Como organização humanitária global, líder em cuidado infantil, a Aldeias Infantis SOS (SOS Children’s Villages International) atua no Brasil há mais de 50 anos, onde cuida de crianças, fortalece famílias, dá resposta à situações de emergência e advoga pelo direito de viver em família e comunidade. Presente em 27 localidades de Norte ao Sul do país, a Organização oferece atividades diárias que geram impactos positivos para mais de 11 mil pessoas, por meio de projetos de educação, esporte, lazer, geração de renda e empregabilidade, com foco na quebra dos ciclos de pobreza, violência e exclusão.

 






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Opiniões
26/11/2019
ONG global atua na prevenção e combate à violência contra mulher
08/10/2019
O homem não nasce violento; torna-se violento!
23/08/2019
AMAZÔNIA AGONIZANDO
09/08/2019
TABACO: Brasil vira referência mundial no combate ao tabagismo
08/08/2019
O que o Brasil precisa
08/08/2019
China abre mercado para lácteos brasileiros
16/02/2019
29/06/2015
Biblioteca Itinerante nas Escolas
29/06/2015
A Igreja e as Obras do Sítio da Lola
25/06/2015
Passeio Ciclístico Rural de Mountain Bike
29/12/2014
Novo protocolo define tratamento para crianças e adolescentes com HIV
26/11/2013
6ª Travessia doa Andarilhos
26/11/2013
ALMOÇO BENEFICENTE DA APAE
26/11/2013
FORMATURA
26/11/2013
5 ANOS DE DAVI
26/11/2013
DESPARAFUSADO DE TUDO
22/11/2013
NESSA EU DANCEI! QUE ÓDIO!
22/11/2013
Patrícia e Marcelo
22/11/2013
GENTE NOVA
22/11/2013
GENTE NOVA
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br