PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 4521142
 Online Agora: 106
Redação
Postada por:  Redação (Carmen Lúcia Marini Vieira Júlio),  em  22/11/2019 às 14h44
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Roberto Nogueira recebe reconhecimento do Legislativo de Juiz de Fora

22/11/2019 às 14h44

Da Redação

 

A data de 07 de novembro foi marcante para o juiz-forano Roberto Nogueira Ferreira pela titularidade agraciada como emérito Cidadão Benemérito de Juiz de Fora, com aprovação unânime da egrégia Câmara Municipal, que resultou na Lei 13.886, através do Projeto de Lei, de autoria do vereador Dr. Antônio Aguiar.

O elo de ligação de Roberto à sua família e a Rio Pomba, transportou o vereador Dr. Antônio Aguiar a um passado bem distante, relembrando com saudosismo e muito amor de suas raízes originárias do patriarca da família Assis Vieira, o jornalista Francisco Vieira de Siqueira, diretor do jornal O IMPARCIAL, progenitor de sua avó Maria de Assis, avô de sua mãe Irla Vieira Santos Aguiar, seu bisavô, e avô de suas primas, ali presentes, Maria Angela, administradora de empresas e esposa do homenageado e Carmen Lúcia, que deu prosseguimento à missão do avô e de seu pai José de Assis Vieira.

Em seu nome e a de seus pares, ele exaltou a honrada vida de Roberto Nogueira como cidadão e profissional, com vasta folha de serviços prestados ao município de Juiz de Fora como Secretário da Fazenda, do então governo de Mello Reis; ao Estado e à Federação. Minuciosamente proferiu os traços biográficos do homenageado, ressaltando sua origem humilde trilhada com muito empenho e esforços. Roberto iniciou sua vida profissional como Auditor Fiscal do Estado de Minas Gerais e daí, galgou degraus em Minas Gerais, pela sua eficiência, autenticidade, ética e transparência. Foi Secretário Municipal de Finanças de Juiz de Fora, Assessor da Diretoria da Receita Estadual, Chefe Interino do Departamento de Fiscalização do Estado, Membro do Conselho de Incentivos Fiscais e Coordenador da Assessoria Econômica da Secretaria da Fazenda do Estado. Chegou a Brasília para ocupar no governo federal a Secretaria Executiva do Conselho de Desenvolvimento Comercial e a Secretaria de Estudos e Informações Econômicas do então Ministério da Indústria e do Comércio. Com competência e mérito vem desenvolvendo suas atividades profissionais como Consultor da Presidência da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo; e de sua empresa Consultores Associados RN Ltda; além de ser membro do Conselho Deliberativo do SEBRAE Nacional e da ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial; do Conselho Nacional da Previdência e do Conselho de Administração do Fundo de Amparo do Trabalhador (CODEFAT). Na capital federal é voltado para a ação social, como fundador da ABRACE – Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras do Câncer e Doenças Hematológicas -, organização Não Governamental, presidindo-a durante 10 anos. Sua esposa Maria Angela, sempre ao seu lado, vem acompanhando os trabalhos da associação há 33 anos e, atualmente, exerce o cargo de presidente. Os esforços do casal, dentre outros voluntários, foram imprescindíveis para a criação e fundação do Hospital da Criança José Alencar há 8 anos, um trabalho da Abrace com o Icipe – Instituto de Câncer Infantil e Pediatria Especializada, em parceria com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

Hoje o HCB registra mais de 3 milhões de atendimentos a crianças e adolescentes com câncer e outras diversas patologias de média e alta complexidade. A primeira etapa de sua construção, numa área de 7.000 metros quadrados, foi realizada pela Abrace. O segundo bloco inaugurado em junho/2018, possui 21.000 metros quadrados e foi construído pela Secretaria de Estado da Saúde.

 O homenageado iniciou sua fala com as palavras de Fernando Pessoa: “Nada é involuntário. Deus é o Agente”. Endossou sua mensagem dizendo: “O passado não volta. Mas também não vai. O passado tem muitas gavetas. Abre e fecha.” E concluiu: “Uma das gavetas abriu-se – por ato da Câmara Municipal – para conceder-me o título de Cidadão Benemérito de Juiz de fora.” - Parafraseando Pedro Nava, definiu-se: “Sou apenas um pobre homem nascido na Rua Bernardo Mascarenhas, não por acaso, no Grupo Escolar Professor Quesnel, onde minha mãe – Alda Nogueira Ferreira – exercia, com a dignidade de sempre, a nobre missão de SERVENTE, no sentido mais elevado que o vocábulo permite. Nasci no Grupo, onde morávamos – eu, meus pais e irmãos - e de lá sai depois da minha primeira infância.” - E prossegue: “Orgulha-me ter nascido em uma rua que consagra o nome de Bernardo Mascarenhas, um dos maiores empreendedores mineiros, dos maiores do Brasil, que aqui viveu e morreu na 2ª metade do séc. XIX. O homem que, dentre muitas realizações, fundou a Cia. Têxtil Bernardo Mascarenhas (1888); a Cia. Mineira de Eletricidade, que construiu a 1ª Usina Hidrelétrica do Brasil e da América do Sul, em 1889, a Usina de Marmelos, e cofundou o Banco de Credito Real de MG.” - Suas lembranças o remeteram ao Grupo Escolar Antônio Carlos, com a afirmação “outro grande mineiro, político, Presidente do Estado. Lá estudei o ‘primário’ - sob o olhar atento, maternal e educador da Professora Eunice Nardelli, de doce lembrança. Meu desempenho no GE Antonio Carlos rendeu-me uma bolsa integral no Ginásio Mariano Procópio, que me possibilitou fazer o curso ginasial e seguir em frente.” – Recordou-se de sua infância pobre, mas feliz, com residência no Morro do Juquinha, conhecido como ‘Escadão’, e na fase adulta, na última moradia de seus pais, Av. Maria Perpétua”. Orgulha-se de ser mineiro, “de Juiz de Fora – juiz-forano, mas do Manoel Honório.” E evidenciou: “Nesta querida Juiz de Fora, de muitas subidas e descidas, metáforas existenciais, recordo uma subida que ao percorrê-la pela primeira vez fui invadido por novas e inesquecíveis emoções - a escada interna do histórico e belo Paço Municipal, sede da Prefeitura, projeto do arquiteto Rafael Arcuri, outra referência local, que também assina, dentre outros, projetos como o do Cine Theatro Central, do Colégio Santa Catarina e da Cia. Bernardo Mascarenhas. Os Arcuri são credores eternos desta terra.” “A subida da escadaria interna da PMJF é o trajeto que cumpri há décadas, ao lado do prefeito Francisco Antonio de Mello Reis – na condição de Secretário da Fazenda - para juntos assinarmos o termo de recebimento das “contas” da municipalidade. Subi com emoção, carregado de ansiedades. Desci com emoção, carregado de responsabilidades. Subi e desci consciente de que - mais que necessário – seria (e foi) um orgulho trabalhar em benefício da nossa cidade. Ao subir aqueles degraus, minhas costas sentiram o peso da simbologia de gloriosos momentos de nossa história.” – Ao salientar, minuciosamente, sobre o convite de Mello Reis, “que conhecia Juiz de Fora como a palma de sua mão e a amava”, ele ressaltou a finalidade de seu trabalho perante à municipalidade na organização do cadastro e a operação bancária e política, dos quais resultou a implantação da Siderúrgica Mendes Júnior, hoje ArcelorMittal. – Ligado à cultura e às artes, Roberto ressaltou a cidade de Juiz de Fora como grande patrimônio histórico e cultural: “Valorizar a cultura de um povo é honrar sua identidade. É preservar raízes.” Na oportunidade, enumerou e homenageou os eméritos homens ligados à literatura, à história, às ciências e às artes. Ainda lembrou, com gratidão, de seu pai Franklin Soares Ferreira, líder político de Grama e suas realizações pelo amado bairro, em favor do engrandecimento do município juiz-forano. – Encerrou o discurso com o seu reconhecimento: “Não cabe a mim julgar-me, nem julgar a iniciativa e a concretização desta homenagem que recebo com humildade e gratidão. Trago Juiz de Fora tatuada em minha alma. Sou daqui. Sei das responsabilidades desse pertencimento. Divido-a com meus familiares, com o povo de Grama, com os meus amigos do Manoel Honório, todos eles partes fundamentais da minha existência. DEUS quis que o Título de Cidadão Benemérito de Juiz de Fora me fosse concedido. Recebo-o com emoção e humildade, e o dedico às pessoas mais importantes da minha vida: Maria Angela Marini Vieira Ferreira, esposa e companheira há mais de quatro décadas, natural de Rio Pomba, cidade que adotei como segundo berço; Lisa, Joanna e Gina, filhas queridas; Gabriel, Pietra, Arthur, Estela, Rafaela, Giovanna e Verena, netos e netas, sobremesas da vida. Em todos procuro inocular o vírus do amor por Juiz de Fora, por Grama, pelo Manoel Honório e por tudo que nos embala e aquece nessa estrada da vida.”

É louvável o gesto de reconhecimento do Legislativo ao juiz-forano Roberto Nogueira Ferreira, o qual sempre fez jus a esse merecimento pelos seus relevantes trabalhos. Parabéns!





Outras Fotos

22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44
22/11/2019 às 14h44


Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Redação
22/11/2019
Roberto Nogueira recebe reconhecimento do Legislativo de Juiz de Fora
22/11/2019
Transporte Municipal da Saúde é incendiado
11/09/2019
VIOLÊNCIA CONTRA MULHER: Agressores poderão ter que usar tornozeleira eletrônica
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br