PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 5579602
 Online Agora: 26
Meio Ambiente
Postada por:  Antônio Carlos Reis,  em  23/10/2019 às 21h30
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
O Maior Desastre Ambiental

23/10/2019 às 21h30

 *Gaudêncio Torquato

O maior acidente ambiental no litoral brasileiro em termos de extensão parece passar ao largo de nossas consciências. Fotos aqui e ali de manchas de óleo que já chegaram em 140 praias do Nordeste, são apenas uma pequena amostra do desastre que atinge o litoral nordestino e cujo impacto será sentido por décadas, com danos incalculáveis à natureza e à economia regional.

 Seja qual for a origem do acidente – esvaziamento de tanques de navios com petróleo da Venezuela ou mesmo um atentado –, o fato é que o país exibe monumental fragilidade na fiscalização de seu mar territorial.

 O Brasil controla, oficialmente, um território marítimo de 3,6 milhões de km2– área maior do que as Regiões Nordeste, Sudeste e Sul juntas. Nesse espaço de mar, denominado Zona Econômica Exclusiva (ZEE), o país monitora e orienta o tráfego de embarcações e tem direito exclusivo de pesquisa e exploração comercial dos recursos existentes na água e no subsolo (petróleo, gás natural, frutos do mar etc.), até uma distância de 370 km (200 milhas náuticas), a partir não só do continente, mas de suas ilhas.

 Aliás, o país pode explorar uma faixa de quase 400 km de largura ao longo dos seus 7.500 km de litoral, tendo exclusividade sobre áreas localizadas a até 1.500 km do continente, graças a pequenas porções de terra, como o arquipélago de Trindade e Martim Vaz, que nos pertencem.

 Afinal, o que teria ocorrido? Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura, especialista em matéria de petróleo, aventa a possibilidade de vazamento de um navio petroleiro de passagem na rota entre o sul do Caribe e a Ásia – que corre ao longo da costa nordestina. Possivelmente um cargueiro limpando os tanques para carregar óleo novo na Venezuela. Pescadores explicam que o óleo vazado é velho, borra parecendo plástico, enquanto o petróleo quando novo é oleoso.

 Ora, já se sabe que o vazamento ocorreu entre os litorais de Pernambuco e Paraíba a uma distância entre 40 e 50 km da costa. Se não é possível detectar o que ocorre nesse limite, imagine-se o que poderá acontecer em espaços mais longínquos, caso o Brasil consiga o feito de aumentar em 2,1 milhões de quilômetros quadrados – equivalente à área da Groenlândia – o tamanho do território nacional no Oceano Atlântico, solicitação feita à Comissão de Limites da Plataforma Continental da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar. Desde 2004, o Brasil luta pela ampliação de nossa ZEE para 4,5 milhões de km2.

   Enquanto o governo mobiliza estruturas e equipes para estudar o que teria ocorrido, o que se vê são arremedos de limpeza: pessoas nas praias puxando óleo viscoso, tartarugas, peixes bois e aves mortas. Onde estão os métodos avançados de limpeza de óleo? Ora, não é a primeira vez que esse tipo de acidente ocorre no país. Antes foram contratadas equipes especializadas de outros países, como Holanda. Desta feita, fala-se em ajuda dos americanos. Virão quando? O que poderão fazer no curto prazo? E se houve ação terrorista? É possível chegar-se a uma conclusão convincente? E se o óleo vazado for mesmo proveniente da Venezuela, que medidas o Brasil tomará para implicar o vizinho de cima (se for o caso), o dono do petroleiro ou o contratante? O momento exige cautela. Que se faça completa e acurada investigação.

 Já ao sofrido Nordeste, um dos mais belos recantos do país, sobra a desesperança de ver se transformar em quimera seu sonho de se ser opção para turistas que lotam o Caribe (ameaçado por furacões). Passarão anos até que suas águas marítimas e praias se livrem de toneladas de óleo.  Até lá, se ouvirão discursos, muito blá-blá-blás e aparecerão salvadores da região. A predominarem a resistência e a mentalidade das autoridades responsáveis pela defesa do meio ambiente, a paisagem de devastação, na esteira de enchentes, vazamentos, queimadas e incêndios criminosos, se expandirá por todos os quadrantes do território.

   Mas um fio de esperança brota quando nossa gente, a partir das crianças e dos jovens, passa a enxergar com muita convicção a mãe-natureza como parte indissociável de suas vidas. Visão que acabará sendo o lume dos protagonistas da política. Vamos dar tempo ao tempo. 

 *Jornalista, é professor titular da USP, consultor político e de comunicação 







Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Meio Ambiente
13/08/2020
Decreto institui comitê de regularização de imóveis rurais na Amazônia e no Cerr...
11/08/2020
Estiagem demanda economia de água
24/07/2020
Máscaras e luvas, da proteção contra a COVID-19 ao novo impacto ambiental
06/07/2020
Hora de avançar com o saneamento
23/06/2020
Com base em amostras de esgoto, projeto da UFMG estima que mais de 50 mil estão ...
12/06/2020
Saiba mais sobre o contexto das questões ambientais no Brasil
05/06/2020
Para 85% dos brasileiros, proteção do meio ambiente deve ser prioridade na retom...
05/06/2020
Dia Mundial do Meio Ambiente e o impasse dos lixões no Brasil
03/06/2020
Minas Gerais comemora a Semana do Meio Ambiente
13/02/2020
Bolsonaro recria Conselho da Amazônia, mas exclui governadores
30/01/2020
Chuvas em Minas Gerais já causaram 55 mortes
29/01/2020
Recuperação dos Recursos Hídricos e da Biodiversidade
29/01/2020
Apoio às vítimas das chuvas em Minas Gerais
29/01/2020
Romeu Zema anuncia medidas de apoio a cidades atingidas pela chuva
24/01/2020
Plástico descartável: proibir para mudar
23/01/2020
Minas articula plano de ação de equipes de Defesa Civil para chuvas dos próximos...
10/01/2020
Lixões e aterros sanitários: um desafio permanente na vida dos brasileiros
03/01/2020
Defesa Civil Nacional disponibiliza apoio aos estados do Sudeste afetados por fo...
17/12/2019
Pescadores afetados pela mancha de óleo começarão a receber auxílio emergencial
16/12/2019
Os contaminantes emergentes – o que os olhos não veem e o corpo todo pode sentir
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br