PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 4438350
 Online Agora: 10
Política
Postada por:  Redação (Carmen Lúcia Marini Vieira Júlio),  em  06/09/2019 às 17h14
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
7 de setembro: O famoso grito da independência

06/09/2019 às 17h14

 *Sérgio Ribeiro Santos

Neste 7 de setembro, o Brasil comemora 197 anos do famoso Grito do Ipiranga. No entanto, como geralmente ocorre com datas comemorativas, convencionou-se este dia para celebrar o momento em que o Brasil deixa de ser uma colônia de Portugal e passa a ser um país que dirigirá seu próprio destino. Na historiografia, há a imagem de que datas são como pontas de iceberg, que servem principalmente para indicarem um corpo submerso. Neste caso, podemos entender o referido episódio como esta ponta que revela todo um processo entre a chegada da Família Real ao Brasil em 1808 e a coroação de D. Pedro II em 1841.

No entanto, movimentos emancipacionistas já se instalavam na Colônia, antes mesmo de 1808. Basta olharmos para a Inconfidência Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798). Além do que, a Revolução Francesa, Independência dos Estados Unidos e das Colônias na América Espanhola, criavam todo um contexto que fomentava ainda mais as aspirações de uma elite local que deseja se emancipar da antiga Metrópole.

Toda essa situação se torna ainda mais crônica com a chegada da Família Real ao Brasil. A Colônia passa a ter status de Sede do Governo Imperial, o Brasil passa integrar o Reino Unido de Portugal e Algarves e toda uma estrutura administrativa e política é construída para atender o governo de D. João VI. Contudo, tais medidas privilegiam os portugueses e ao mesmo tempo desagradam as lideranças locais, que passaram a se sentir preteridas.

Com o retorno de D. João VI a Portugal, as relações entre Lisboa e Brasil tornam-se cada vez mais difíceis. As lideranças locais se aproximam de D. Pedro I, e este, instado por elas, e resistindo a pressão de Portugal para retornar à Europa, protagoniza o famoso ato que ficaria imortalizado no quadro de Pedro Américo.

Contudo, a construção de uma nova nação ainda estava em seu início e seria este um processo que enfrentaria muita luta interna e externa. Os modelos que serviriam de base para este novo projeto político lutariam entre si até que o próprio Brasil visse a si mesmo como uma nação independente. Aliás, processo este que ainda hoje está em pleno andamento e que disputam almas e consciências de cada brasileiro.

*Graduado em Teologia, Mestre e Doutor em História. É coordenador dos Cursos de Licenciatura em História e Geografia (EaD) da Universidade Presbiteriana Mackenzie.






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Política
20/11/2019
Quando o muro caiu
13/11/2019
O Sonho da Grande Pátria
06/11/2019
Um outubro conturbado na América Latina
28/10/2019
Acordo da Base de Alcântara “favorece desenvolvimento do mercado espacial”, afir...
23/10/2019
Deputados aprovam acordo que permite uso comercial da Base de Alcântara
23/10/2019
Com 60 votos favoráveis, reforma da Previdência é aprovada em segundo turno no S...
02/10/2019
UM CHOQUE NA ADMINISTRAÇÃO
18/09/2019
Debate: 30 anos da Constituição Mineira revela desafios
06/09/2019
7 de setembro: O famoso grito da independência
05/09/2019
Deputados conseguem apoio do presidente da Câmara na luta por recursos para pesq...
05/09/2019
Romeu Zema libera R$ 17 milhões para compra de medicamentos
04/10/2014
ELEIÇÕES E O CONTROLE DE ACESSO
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br