PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 3019342
 Online Agora: 21
Estaduais
Postada por:  Redação,  em  27/08/2013 às 16h02
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Hospitais terão que informar atendimento a pessoa ferida com arma
Objetivo da iniciativa é subsidiar inquérito policial

27/08/2013 às 16h02

Foram publicadas no sábado (27/07/13), no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, duas leis que terão impacto na rotina de instituições de saúde. A primeira delas é a Lei 20.811, de 2013, que obriga unidades de saúde, sejam elas hospitais públicos, clínicas particulares ou ambulatórios, a fornecer informações básicas, em até 12 horas, do início do atendimento a qualquer pessoa ferida com armas. O objetivo é que os dados possam subsidiar o  inquérito policial. Não apenas armas de fogo devem ser alvo de notificação, mas também instrumentos cortantes ou perfurantes e armas químicas ou biológicas que possam ser usadas para causar morte ou lesão corporal.

A legislação foi originada pelo Projeto de Lei (PL) 3.271/ 12, do deputado Sargento Rodrigues (PDT), aprovado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais em 10/7/13. Um projeto similar, do mesmo parlamentar, já havia tramitado na Casa – o PL 326/ 11, foi aprovado pelo Plenário, mas vetado pelo governador este ano. Na ocasião, as razões do veto foram fundamentadas em argumentos de contrariedade ao interesse público, embora a relevância da iniciativa e a necessidade do seu aprimoramento tenham sido reconhecidas.

Direito a acompanhantes durante internação

Já a Lei 20.813, de 2013, torna obrigatória a afixação de cartazes informando que crianças e adolescentes têm o direito de ter acompanhantes em tempo integral em casos de internação. Os cartazes deverão estar em locais visíveis em todas as unidades de saúde da rede pública que oferecem internação.

O número do telefone da secretaria de saúde do município para reclamações e denúncias também deve ser informado. O não cumprimento da norma acarretará em advertência por escrito e multa de 1.000 Ufemgs (Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais). A norma originou-se no PL 1.326/ 11, da deputada Ana Maria Resende (PSDB).

 Assessoria de Imprensa da ALMG






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Estaduais
22/11/2013
Estimativas do IBGE aumentam FPM de 43 municípios de Minas
17/10/2013
Painel traça perfil dos crimes contra os idosos
27/08/2013
Hospitais terão que informar atendimento a pessoa ferida com arma
22/07/2013
Presidente da Assembleia recebe Diretoria do Sindijori
08/07/2013
Presidente da ALMG acompanha beatificação de Nhá Chica
01/07/2013
Defesa da igualdade marca Medalha da Inconfidência
20/06/2013
Ex-presidente Lula é Cidadão Honorário de Minas Gerais
28/05/2013
Fim dos lixões é o grande desafio dos municípios
   COLUNISTAS  
Rodrigo Oliveira
Economia
Naico
Naico na Sociedade
Carmen Lúcia
Carnet Social
Marcos Morita
Economia
Luiz Flávio Gomes
Crônicas
Celinho Gaudereto
Esportes
Redação
Editorial
Geraldo Santão
Crônicas de Santão
Valéria Áureo
Crônicas
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br