PÁGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupação com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hábito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 3262001
 Online Agora: 11
Crônicas de Valéria Áureo
Postada por:  Valéria Áureo,  em  24/07/2013 às 14h03
Compartilhar no Orkut Comentários ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Foi tudo para o vinagre
Povo e ditos populares

24/07/2013 às 14h03

Quando eu era menina pequena lá em Rio Pomba, parodiando Joselino Barbacena,* eu sempre prestava muita atenção nos provérbios e ditos populares que sintetizavam uma sabedoria natural e deliciosa. Entre eles, eu me recordo bem de: "foi tudo para o vinagre", a vaca foi para o brejo", "danou-se a nega do doce" ou "levou o aio"... Nesses casos, expressões que queriam refletir o fracasso de alguma empreitada a qual se dedicou tempo e trabalho. No caso de "levou o aio..." a chuva caía desafortunadamente na sexta-feira da paixão, dia do plantio do alho. Choveu, levou o aio!... E o alho ia enxurrada abaixo.

Temos expressões divertidas, que nascem da inspiração do povo, para definir muitos sentimentos e situações, onde a espontaneidade é mais eloquente que muitas palavras. A coisa  vai, vai, vai até que "a porteira que deixa passar um boi, deixa passar uma boiada" e, "depois da porta arrombada, coloca-se a tranca"... Se o sujeito se esquece que "antes que o mal cresça, corta-se-lhe a cabeça", aí não tem jeito e chega a hora de "a onça beber água". Bons conselhos, boa inspiração e luz acesa antes que o mal aconteça. É como o candeeiro bem colocado, porque  “candeia que vai à frente alumia duas vezes."

O vinagre nunca esteve tão em alta. Nas guerras, o vinagre era recomendado aos soldados, principalmente quando atuavam em ambientes úmidos, para prevenção de possíveis contaminações microbiológicas, bem como para desinfetar e temperar os alimentos. Pois vinagre está na moda, mais do que nunca, debutando nas passeatas. Alta de preços - coisas de mercado, questão entre a demanda e a oferta. Alta na busca do produto para a limpeza e para as saladas: vinagre de uva, de maçã, de cereais, de álcool, a escolher. Vinagre nas saladas de verduras, saladas do vilão da era tomate e alface. Aliás, alface é remédio natural que cura a insônia e noites mal dormidas e deixa o cidadão mais calmo, no meio das saladas urbanas de gás lacrimogêneo, de bombas de efeito moral, balas de borracha e convocações virtuais para os protestos nas recentes reivindicações, já que "a fome faz sair o lobo do mato." E, se a questão é fome "em casa onde não há pão, todos gritam e ninguém tem razão". A Cristo deram fel e vinagre na sua fome e sede... Sim, ao mais pacífico dos homens.

Vinagre está em alta, usado para emagrecer, inclusive. Isto serve para a dieta de  quem come muito doce e engorda sem querer... Ora, "com vinagre não se apanham moscas." Agora o vinagre foi às ruas, como já esteve nos fronts, deixando os restaurantes e as salas de jantar.

Povo, tal qual o vinagre, está em alta e reconhece a sua força. Torço para que "Povo", entidade organizada pelo espírito de luta e nacionalismo, não se transforme em massa de manobra. Torço para que "Povo" preserve os anseios dos jovens da classe média que se reuniram e foram às ruas em passeatas pacíficas, para reivindicar direitos. Desejo que "Povo" não se deixe manipular pelos argutos abutres de plantão. Que "Povo" erga somente a bandeira da paz. Pois é... A coisa começa de um jeito e depois fica incontrolável, confusa... E os oportunistas assumem a paternidade, quando o filho "parece" bonito, porque ninguém é pai de filho feio. Tem mais; “quem ama o feio, bonito lhe parece.” Se "quem conversa muito dá bom dia a cavalo", "falar é prata e calar é ouro". Se, "em boca calada não entra mosca," "cala-te boca!"

"Ainda que sejas prudente e velho, não desprezes o conselho". Os problemas aparecem quando se desfazem as alianças e juras políticas, ou juras de amor." É quando se separa que se conhece o cônjuge". Em síntese:- "zangam-se as comadres, descobrem-se as verdades."

O momento é propício para se entender que: "Com direito do teu lado nunca receies dar brado" Para isto, meus amigos, há os meios legais. Sou pela Ordem e Progresso. Não há lugar para distúrbios sociais e guerrilhas urbanas, porque todos pagaremos o preço do caos. O mundo não absorve mais a violência. Evoluímos e o caminho a perseguir é o da Paz pela Lei.

* Personagem de Antonio Carlos Pires e seus divertidos bordões, na Escolinha do Professor Raimundo, de Chico Anísio

 






Avaliação (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentário

[ 0 ] comentário(s)

Nenhum Comentário ou aguardando aprovação



 
.:: Mais Notícias sobre Crônicas de Valéria Áureo
22/11/2013
A Voz do Brasil
24/07/2013
Foi tudo para o vinagre
22/07/2013
Fofoca cibernética... Salve Jorge!
01/07/2013
Onde foi parar o futuro?
03/06/2013
Kiss o destino
   COLUNISTAS  
Carmen Lúcia
Carnet Social
Marcos Morita
Economia
Valéria Áureo
Crônicas
Celinho Gaudereto
Esportes
Redação
Editorial
Geraldo Santão
Crônicas de Santão
Rodrigo Oliveira
Economia
Naico
Naico na Sociedade
Luiz Flávio Gomes
Crônicas
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
® O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br