PGINAS  
   ENQUETE  
Qual a sua preocupao com o meio ambiente?
Utiliza as lixeiras de coleta seletiva?
Tem o hbito de reciclar lixo diariamente?
Economiza energia?
Consome marcas ecologicamente corretas?


   TEMPO AGORA  
   PUBLICIDADE  
   ESTATISTICAS  
Total de Visitas: 3210747
 Online Agora: 22
Saúde
Postada por:  Redação,  em  04/03/2013 s 16h43
Compartilhar no Orkut Comentrios ( 0 ) Comentar Link: Fonte
Como evitar doenças no período de chuvas entre fevereiro e abril
Pesquisa aponta que 52,5 % das famílias brasileiras apresentaram pelo menos um surto de infecção a cada dois meses e este número sobe para 74,2% quando se trata de crianças

04/03/2013 s 16h43

A temporada de chuvas, que fecha o verão e refresca as ondas de calor, também exige cuidados redobrados para evitar o aumento de incidências de determinadas infecções. Tosse, resfriado, gripe, infecção de olhos e de pele, e infecções gastrintestinais, como a diarreia, são mais comuns no fim do verão, começo do outono e chegada das temperaturas mais úmidas. Nesta época, germes e fungos podem sobreviver e se propagar por mais tempo.

            Além da alta umidade, a água pluvial que percorre telhados e pavimentos, e até mesmo a água de esgoto, pode se misturar com a água potável e de banho causando a contaminação. Beber água não devidamente tratada ou usá-la para cozinhar alimentos ou até para lavar utensílios de cozinha são formas fáceis de adquirir enfermidades mais sérias como paratifoide, febre tifoide, disenteria e cólera.

Se estagnada, a água de chuva ainda atrai mosquitos e moscas, que acabam possibilitando a transmissão da malária e dengue. No chão, a água contaminada fica mais propensa a entrar em contato com diferentes partes do corpo e provocar irritações de pele; o contato com essa água acumulada durante as chuvas também pode expor ao contato com urina de rato, potencial transmissor de leptospirose.

Compreender essas situações relacionadas à época de chuvas, conhecida como monções, pode colocar a população, principalmente as mães, um passo à frente das doenças e ajudar as famílias a manterem-se saudáveis.

 Dicas para cuidar da saúde durante a época de chuvas:

 Pesquisa inédita, “O Custo das Doenças do Dia a Dia”, realizada por Lifebuoy* em parceria com a Escola de Higiene Tropical de Londres**, aponta que 52,5% das famílias brasileiras apresentaram pelo menos um surto de infecção. Porém, este número sobe para 74,2% quando analisado entre crianças de cinco a quinze anos de idade. Em contrapartida, a simples lavagem das mãos com sabonete pode reduzir os índices em até 40%, como aponta a UNICEF e a OMS. “Esta é uma das melhores e mais fáceis maneiras de proteger sua família de infecções durante a estação das monções”, explica o Dr. Artur Timerman.

As doenças com maior frequência detectadas na pesquisa são: respiratórias com 33,3%, diarreicas com 11,8% e infecções de pele com 7,4%. Apesar da maior incidência de doenças respiratórias, o tipo de enfermidade que mais gera despesas para tratamento são as infecções de pele, com custo de R$ 116,32 por episódio. Já a gripe é a doença de maior incidência no Brasil. “Doenças de pele e gripes são bastante associadas a época de chuvas”, comenta o Dr. Timerman.

Infectologista pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo, o Dr. Timerman é membro da Sociedade Brasileira de Infectologia. Participa com frequência de Congressos e Encontros na área de Moléstias Infecciosas tanto no Brasil quanto no Exterior. Segundo o médico, criar um lar saudável exige que a família se atente para sinais evidentes no interior e ao redor da casa, principalmente porque as crianças costumam ficar fechadas por mais tempo dentro de casa ou, pelo contrário, sair para brincar na chuva.

Aliás, toda criança adora brincar em poças de água e não há problema nisso, desde que use galochas e capa de chuva para se divertir. Além disso, quando os pequenos voltarem para casa, os pais devem assegurar que tirem as galochas antes de entrarem para não espalharem pela casa a sujeira e os germes que trouxeram de fora. “Incentive seu filho a lavar bem as mãos, os pés e tomar banho, usando sabonete antibacteriano, depois que retornar de brincar na chuva, para remover a lama, a sujeira e os germes que podem causar as enfermidades”, recomenda o Dr. Artur Timerman.

O infectologista enumera também outros cuidados especiais na época das chuvas:

  • Use sapatos fechados durante os dias de chuva, para evitar as infecções fúngicas em áreas como os pés;
  • Verifique se há fontes de água contaminada perto de sua casa, isto inclui tanques de água subterrâneos;
  • Não se esqueça de tratar ou ferver a água potável para consumi-la;
  • Lave com água tratada os alimentos que trouxe de fora;
  • Esteja atento para possíveis focos de água parada ao redor da casa, eliminando-os;
  • Mantenha a caixa d’água tampada, pois também é considerada terreno fértil para a reprodução de germes.

 In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação

 






Avaliao (Vote clicando) - 0 voto(s)
 (0.00)
12345678910

Deixar Comentrio

[ 0 ] comentrio(s)

Nenhum Comentrio ou aguardando aprovao



 
.:: Mais Notícias sobre Saúde
15/10/2013
Cirurgia de catarata: como escolher a lente intraocular?
15/10/2013
O perigo das queimaduras: como prevenir e evitar 
03/06/2013
Rapidez no atendimento evita sequelas de AVC´s e infartos
08/03/2013
PBM inibe a automedicação e ajuda a reduzir os possíveis riscos à saúde
08/03/2013
Santa Casa BH contribui para redução da fila de transplantes em Minas Gerais ...
04/03/2013
Como evitar doenças no período de chuvas entre fevereiro e abril
04/03/2013
DICAS PARA UMA BOA DIGESTÃO
04/03/2013
O PODER DA ROMÃ CONTRA O MAL DE ALZHEIMER
04/03/2013
Acupuntura é eficaz no combate à insônia
   COLUNISTAS  
Naico
Naico na Sociedade
Celinho Gaudereto
Esportes
Carmen Lúcia
Carnet Social
Valéria Áureo
Crônicas
Marcos Morita
Economia
Redação
Editorial
Luiz Flávio Gomes
Crônicas
Rodrigo Oliveira
Economia
Geraldo Santão
Crônicas de Santão
   PUBLICIDADE  
 
 
 
 
   
   
O Imparcial
Rua Quirico Marini, 55 - Rio Pomba - Minas Gerais
Telefone: 32-3571-1822 / E-mail: jornal.oimparcial@uol.com.br